domingo, 28 de outubro de 2012

Qntal - Electro Medieval









Qntal é uma banda de “electro-medieval”, banda fundada em 1991, em Bad Gottleuba-Berggießhübel, Alemanha por Michael Popp, Ernst Horn, e a vocalista Sigrid Hausen (também conhecida como Syrah). 



Michael Popp e Syrah têm um projecto paralelo, Estampie, uma banda de gênero semelhante, mas diferente estilo. 




Horn saiu da banda em 1999 para se concentrar na banda Deine Lakaien. Depois ele formou a Helium Volaem 2001. Philipp Groth (também conhecido como Fill) se juntou à banda.






“Qntal” é uma palavra sem significado que apareceu num dos sonhos da Syrah. A pronunciação varia entre diferentes países. 



Álbuns

* 1992 - “Qntal I”
* 1995 - “Qntal II”
* 2003 - “Qntal III: Tristan Und Isolde”
* 2005 - “Qntal IV: Ozymandias”
* 2006 - “Qntal V: Silver Swan”







Singles
* 2002 - “O, Tristan”
* 2003 - “Nihil”
* 2004 - “Illuminate”

Membros Atuais
* Syrah - Vocalista
* Michael Popp - Vocal, fidel, saz, shalmei, ûd e tar
* Fil - teclados, Vocal, guitarra e programação

Ex-Membros
* Ernst Horn - Teclado

Gothic Doll Makeup ((( Vídeo Tutorial)))

Bem, começo o Post de hoje para as Ladys, e abaixo está o primeiro vídeo tutorial de Make pra vocês. Os materiais são fáceis de encontrar e existem varias marcas, então procurem usar as que já conhecem e gostam, a aplicação acaba se tornando fácil!
Espero que aproveitem!


Voltando...



Saudações queridos Seres,

Venho hoje pedir-lhes desculpas pela ausência e minha falta de atenção para com o Blog... Muitas coisas aconteceram nesses últimos meses em que não o atualizei: problemas em casa e com a família que querendo ou não ainda moro com meus pais, faculdade (atarefada demais com audiências e tal ..) e namoro que até agora não sei mais o que pensar, acabou, voltamos, depois acabou de novo, e voltamos de novo e agora ao que parece acabou de vez... não sei bem o que pensar, apenas sei que dói...

Estou de volta, vou voltar a escrever mais postagens e aceito sugestões e pedidos por meio da nossa página no facebook: http://www.facebook.com/pages/Lady-Darks/321282797886975 ... Obrigada e espero que aproveitem!

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Teu silêncio...



O tempo passou rápido demais,
o lobo dentro de minha alma esmaeceu
e  solitáriamente foi em busca da escuridão.
Meu rosto perdeu a cor
e o calor que tua voz me transmitia transformou-se em frio,
tão intenso que as lágrimas congelaram em meus olhos
e por esse rosto nunca mais rolaram.

Sem ao menos uma explicação
ou motivo plausivel feriste-me
com teu silêncio descontrolado
e tuas atitudes inesperadas...

Meu interior se pergunta até agora o que fiz,
minha mente grita e implora por seu retorno,
mesmo sabendo que jamais regressará...
E eu sei que o erro cometido não se concertará
e a cada instante estarás mais longe do meu ser!

Não consigo parar de pensar em minha alma que chora,
e no meu peito que todas as noites chama teu nome
e pede aos Deuses uma resposta ou um caminho
mas todos ainda me levam a ti

Confusa,
talvez seja a palavra certa para descrever como estou,
pois a alma litiga com minhas atitudes,
meu sorriso sem cor,
me corpo cansado demais pra prosseguir, insistente.

Noto que meu medo desde o começo teve fundamento
e agora sofro com a certeza que sempre tive
de algo que acreditei por um momento
e voltei a minha antiga tese de inexistencia.
Pois tive a prova de quão fútil pode ser uma palavra dita num momento errado!

by: Lady Dark † Antonielle (eu)

domingo, 6 de maio de 2012

Make up Siouxsie (((Video Tutorial)))

Para as Ladys que são fãns de Siouxsie ai vai um Tutorial de make pra arrasarem *-*, espero que aproveitem e tenham gostado.

London After Midnight


London After Midnight é uma banda de rock de Los Angeles formada nos anos 90 pelo vocalista Sean Brennan. Sean é conhecido por as suas posições fortes em favor dos direitos dos animais, pró-anti questões ambientais e de direitos humanos entre outros.
 Sendo em QUALQUER abordagem ou assunto, a música de London After Midnight é profundamente comovente, forte, romântica, emocional, perturbadora, dançante e ocasionalmente exibe uma sagacidade mórbida com o seu humor sarcástico (é realmente impossivel ouvir "Your Best Nightmare" e não pensar numa história de Edward Gorey).
London After Midnight ganhou um grande e leal grupo de fans que os segue para todo lado, além de 4 trabalhos próprios em estúdio, London After Midnight já participou de projetos e compilações envolvendo outros artistas, desde o E.U.A. até a Europa chegando a América Latina (onde a banda tem viajado extensivamente ao vivo).
LAM co-liderou concertos e festivais com grandes bandas como The Cure, Green Day, HIM (HIM citou um artista favorito LAM), Rammstein, Soft Cell, Mindless Self Indulgence, e muitos mais. LAM foi realizado para uma multidão de mais de 30.000 pessoas como headliner e co-headliner em festivais de música ao redor do mundo. Ainda assim, London After Midnight mantém uma underground forte e independente "personalidade", apesar de ser um vendedor (do Top 10 charts europeus DAC com cada um dos 4 CDs lançados) e uma grande atração em festivais de música ano após ano.

A banda rejeita classificações, mas já foi considerada gótica e industrial.


Discografia

Selected Scenes from the End of the World - 1992
Oddities - 1995
Psycho Magnet - 1998
Violent Acts of Beauty - 2007


segunda-feira, 30 de abril de 2012

Lacrimosa

Me mandaram um e-mail essa semana perguntando sobre a origem de uma banda que gosto muito e que por sinal havia me esquecido de cita-la aqui no Blog: Lacrimosa... Fiquei a semana toda me martirizando! Como fui me esquecer da voz fantástica de Tylo Wolff? Corrigindo meu erro está aqui o Post.


Lacrimosa é uma banda que mescla Heavy Metal, Música Clássica, e Darkwave, idealizada na Suiça por Tilo Wolff em 1989, lançando sua Demo-Tape Clamor em 1990. Em 1993 passou a contar com a presença da finlandesa Anne Nurmi, depois de ela ter participado com os teclados na turnê promocional do álbum Satura. Seu estilo combina ramificações do Metal com a Música Clássica com utilização de instrumentos eruditos como piano e orquestra. A banda possui influências tanto de darkwave (primeiros três álbuns), quanto de Heavy Metal (Sapphire, do álbum Lichtgestalt e Liebesspiel, do álbum Fassade, entre outras), Progressive Metal (Deine Nähe, do álbum Stille) e, segundo muitos, até de Tango (Malina e Eine Nacht in Ewigkeit, ambas do álbum Echos).


Seus integrantes não querem que a banda seja classificada em qualquer estilo musical, pois, como disse Anne Nurmi em uma entrevista, não gostam de ficar aprisionados a uma caixa (estilos musicais).Quase todas as letras de suas canções são escritas em alemão, mas a partir do álbum Inferno também há letras em inglês (Copycat e Not Every Pain Hurts, entre outras) e em finlandês (Vankina e trechos de Schakal), e também uma versão de Durch Nacht und Flut parcialmente em espanhol, no álbum ao vivo Lichtjahre. Todas as letras são escritas por Tilo Wolff, exceto por Hohelied Der Liebe, do álbum Lichtgestalt (2005), cuja letra foi retirada da Bíblia Sagrada (Primeira Carta de Paulo aos Coríntios, capítulo 13), e algumas contribuições de Anne Nurmi. Os principais temas abordados por Lacrimosa são a solidão, tristeza e amor.

Nacionalidade

Apesar de Tilo Wolff ser de origem Alemã, mudou-se cedo para Suíça onde fundou a banda Lacrimosa e abriu sua própria gravadora. Anne Nurmi é natural da Finlândia.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Thelema - O que é?


Thelema prolongamento de 'thelo' (querer); uma determinação (a coisa propriamente), ou seja, (ativamente) escolha (especificamente, propósito, decreto; vontade abstrata) ou (passivamente) inclinação: – desejo, prazer, vontade.
Também se refere à doutrina ou filosofia religiosa difundida por Aleister Crowley a partir de 1904 nos moldes propostos pelo Liber AL vel Legis, publicação recebida por uma entidade auto-denominada "Aiwass", ministro de Cultura de Hoor-par-Kraat (o Deus Hórus).
De acordo com a filosofia thelêmica, o ser humano está afastado de sua condição divina não pela encarnação, conforme pregava, por exemplo, o gnosticismo, e sim pela simples não-conscientização desta natureza. Essa falta de consciência seria mantida por uma série de fatores, dentre os quais podem-se citar o conceito de pecado (enquanto restrição artificial dos impulsos naturais), o egocentrismmo e a entrega à vontade alheia ou aos vícios -- que no conceito thelêmico referem-se a qualquer atitude que controle a vontade ao invés de ser controlada por ela. Assim, cabia ao ser humano buscar uma profunda auto-consciência, chegando assim ao conhecimento do que foi chamado de Verdadeira Vontade (Thelema, do grego vontade), o objetivo primal da encarnação de um espírito individual. 

Antecedentes

A palavra Thelema é incomum no Grego Clássico, significando o desejo, mesmo o sexual. Porém já se torna comum na Septuaginta (versão da Bíblia hebraica para o dialeto grego Koiné). Antigas escrituras cristãs utilizavam esta palavra por vezes para se referir à vontade humana, mas era mais usual como referência à vontade de Deus. Na oração do Pai Nosso, por exemplo, em "Venha a nós o Vosso reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu;" (Mateus 6:10), o original de "vontade" é θέλημα. Ainda no mesmo evangelho, em Mt 26:37, tem-se Jesus dizendo a Deus: "faça-se a Tua vontade", novamente com o termo Thelema no original. Ainda além, Santo Agostinho, em um sermão do Séc. V d.C., utiliza a frase "dilige et quod vis fac" ("ama e faze o que tu queres").
O texto renascentista "Hypnerotomachia Poliphili", creditado ao monge dominicano Francesco Colonna e com primeira publicação em 1449, possui uma personagem chamada Thelemia, representativa da vontade ou desejo, que em conjunto com Logistica (a razão) guiavam o protagonista Polifilo por sua jornada em busca de sua amada. Quase sempre, ao ser obrigado a escolher entre os conselhos de Logistica e Thelemia, Polifilio dava ouvidos à seus impulsos sexuais e não à lógica. Esse livro teve grande influência sobre outra obra de grande importância para a base filosófica thelemica, a novela do Séc. XVI, "Gargantua e Pantagruel", do monge franciscano François Rabelais. Neste texto clássico se descreve a "Abadia de Thélème", cuja única regra consistia em "faix çe que tu veux" ("faze o que tu queres"). Já em meados do Séc. XVIII, Sir Francis Dashwood inscreve este adágio, que se tornaria o lema do Hellfire Club, na porta de entrada de sua própria abadia, em Medhenmam, Inglaterra. "Gargantua e Pantagruel" também é referenciado na novela de Sir Walter Besant e de James Rice, Os Monges de Thelema (1878), e na utopia A Construção de Thelema (1910), de C. R. Ashbee. 

Notas:

(1) "Do what thou wilt shall be the whole of the Law" - a tradução utilizada é a de Marcelo Motta, pois fora feita seguindo uma observação de Germer sobre a necessidade de se ter o mesmo número de letras do original (11). Infelizmente, não se pode traduzir apenas com monossílabos como ocorre no britânico. 11 é o número da Grande Obra.
(2) "Está escrito que 'Amor é a lei, amor sob vontade'. Aqui há um Arcano Velado, pois no idioma grego AGAPE- Amor, tem o mesmo valor numérico que THELEMA - Vontade. Por isto nós compreendemos que a natureza da Vontade Universal é Amor".
Liber CL - De Lege Libellum

 

 Texto retirado do site: Ocultura

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Biografia de Jason Voorhees((Especial Sexta-feira 13))


Jason Voorhees, nascido em 13 de julho de 1946, é um personagem fictício, principal personagem dos filmes de terror da franquia Sexta-Feira 13. O assassino Jason é filho de Pamela Voorhees e Elias Voorhees.
Sua principal característica é a utilização de uma máscara de hóquei para não expor a terceiros seu horrível rosto (detalhe: ele não usa a máscara em algumas edições da série, como o segundo episódio, pois ainda não a tinha encontrado, usando antes uma fronha de travesseiro branco ). Além disso, sempre utiliza uma faca machete, embora, saiba manusear com habilidade qualquer arma branca que esteja ao seu alcance, (como machado, machadinha, cutelo, faca, lança, arpão, forcado, entre outros). Entretanto, jamais usou nenhum tipo de arma de fogo.
Jason Voorhees supostamente se afogara no lago do amor, próximo ao acampamento Crystal Lake por negligência dos monitores que no momento faziam sexo. Pamela, sua mãe, era a cozinheira do acampamento. A 13 de junho de 1958, à noite, a sra. Pamela Voorhees, em um ato de vingança, executou os dois conselheiros (Claudette e Barry) e mais sete monitores. Assim, no primeiro filme da série Sexta feira 13, quem matava as pessoas não era Jason e sim Pamela. Porém, uma das monitoras conseguiu decapitar a mãe de Jason enquanto lutava contra ela. Supostamente, Jason encontrou sua mãe decapitada e voltou para aniquilar todos que cruzam seu caminho. Já o remake de 2009 mostra claramente que ele viu mesmo a mãe sendo morta e foi isso que provocou sua revolta.Desde então, mata todos aqueles que cruzam seu caminho.

Golpes Favoritos
Jason, na maioria das vezes, mata suas vítimas com facas ou machados. Mas, algumas vezes, ele prefere usar suas próprias mãos para esmagar suas presas. Em alguns casos Jason dá em suas vítimas um abraço tão forte que as quebra ao meio. Também costuma usar um tipo de golpe esmaga crânios, onde Jason põe suas mãos na cabeça de uma pessoa e aperta até que seja literalmente esmagada.Em outros casos, Jason quebra o pescoço de suas vítimas virando a cabeça de uma pessoa para trás em 180° graus com suas próprias mãos( como no filme Sexta-Feira 13 parte 4, Sexta-Feira 13 parte 6, Sexta-Feira 13 parte 7 e Freddy vs Jason).Outro golpe que Jason Voorhees prefere usar é penetrar o braço em suas vítimas, sendo severamente atravessada(em Sexta-Feira 13 parte 6 e Sexta-Feira 13 parte 7).



Curiosidades 


* Jason não mata crianças. Mas quando se encontra com uma, geralmente fica apenas olhando, sem nada fazer. Na parte VIII, uma cena de flashback mostra que enquanto ele próprio ainda é criança, dá um susto numa menina que cai no lago, mas a deixa ir embora.
* No filme Freddy vs. Jason o personagem Freddy Krueger quase o mata afogado, explicando-se que como morreu afogado, Jason tem muito medo de água. Porém, em quase todos os demais filmes, é visto entrando diversas vezes na água, para aniquilar suas vítimas, como no caso da parte IV e VI (Quando pula no barco do personagem Tommy).
* Jason tem 1,96 metro de altura e pesa 115 kg.
* As vítimas prediletas de Jason são jovens instrutores de acampamento.
* Sua arma favorita no começo de carreira era o facão, mas Jason nunca foi um assassino de hábitos. Hoje, usa o que encontra pela frente, de canos gigantescos, passando por martelos e machados e até chaves de fenda.
* Jason só aparece pessoalmente no segundo filme. Mas há duas cenas do primeiro filme que o mostram. Na primeira, sua mãe o vê se afogando no lago, enquanto ela tem um ataque de esquizofrenia. Na segunda, a personagem Alice tem um tipo de pesadelo com ele no qual o vê, ainda criança, tentando sem sucesso afogá-la (Alice é a única sobrevivente da chacina de Crystal Lake) no fim do filme. Dois meses depois (já no início de Friday the 13th Part II) Jason já adulto mata Alice em sua casa. Embora alguns fãs do filme creiam que essa última cena foi real, e não um pesadelo de Alice, isso não seria possível, pois, como foi dito, ele já aparece adulto apenas dois meses depois de Alice sonhar com ele ainda criança.
* Só no terceiro filme (Friday the 13th Part III), Jason começa a usar a famosa máscara de hóquei (máscara do time Detroit Red Wings).
* No quinto filme da franquia (Friday the 13th: A New Beginning), Jason novamente não é o assassino e sim Roy Burns; que após ver seu filho bastardo ser morto, tem um surto e usa a lenda de Jason para matar todos do Instituto de Saúde Mental Unger (onde seu filho era paciente).
* No nono filme da franquia (Jason Goes to Hell: The Final Friday), é revelado que Jason teria uma irmã, Diana Kimble. No primeiro filme, a mãe de Jason o chama de "minha única criança". Assim, provavelmente Diana é sua irmã só por parte de pai.
* Tecnicamente, Jason "só" começou a ser ressuscitado a partir do sexto capítulo – apesar de ter levado um facão no ombro e uma machadada na cabeça, ele inexplicavelmente não morria. A partir de seu retorno triunfal (um raio atinge um pedaço de metal que atravessava seu corpo enterrado), o maníaco ressuscitou mais seis vezes, inclusive por uma garota paranormal, no espaço (Jason X) ou pelo inimigo Freddy Krueger ("Freddy vs. Jason").
* Não existe uma razão específica para o silêncio de Jason. Sabe-se que ele tem problemas mentais, mas a língua está lá. Ele certamente pensaria: "Minhas ações já falam por mim."
* Durante os primeiros filmes, Jason corre atrás de suas vítimas. Nas seqüências dos filmes, Jason andava ao invés de correr pois conhecia toda a região de Crystal Lake ao invés de suas vítimas que corriam sem rumo. Depois do oitavo filme (Friday the 13th Part VIII: Jason Takes Manhattan) Jason parece se "teletransportar" para perto de suas vítimas.
* A única pessoa que Jason já chegou a amar é sua mãe, Pamela Voorhees. Após ser decapitada, Jason guarda a sua cabeça em seu barraco.
* O pai de Jason é Elias Voorhees que nunca apareceu em algum dos filmes; no sexto filme (Jason Lives: Friday the 13th Part VI) Elias apareceria no final do filme no túmulo de Jason, mas a cena foi cortada.
* Durante a série de filmes é revelado dois modos de "matar" Jason. O primeiro (de Jason Lives: Friday the 13th Part VI) é "matar" Jason do mesmo modo e no mesmo lugar onde morreu originalmente (ser afogado no Lago Cristal). O segundo (de Jason Goes to Hell: The Final Friday) é destruir seu coração, o qual é habitado por uma criatura que tem a aparência de um verme gigante (que aparece na capa do filme) que só pode ser destruído por pessoas que tem o mesmo sangue de Jason correndo nas suas veias, como no caso da sua irmã Diane, sua sobrinha Jessica e sua sobrinha neta Stephanie Voorhees, fazendo o Jason ser soterrado pelas mãos demoníacas do inferno, na cena inicial do filme Freddy vs. Jason, quando o Jason é despertado pelo Freddy Krueger saindo debaixo da terra de onde foi morto no filme "Jason vai para o inferno".
* Embora a localização exata de Crystal Lake nunca seja revelada, em Friday the 13th Part VIII podemos ver que a cidade fica na costa leste dos Estados Unidos, pois é mostrado que o lago da colônia de férias onde tudo ocorreu tem uma ligação com o Oceano Atlântico, já que um navio sai de lá e chega a Nova York. E através do filme Freddy vs. Jason, conclui-se que Elm Street (o lar de Freddy Krueger) e Crystal Lake (o lar de Jason Voorhees) são lugares próximos: a distância entre essas regiões pode ser percorrida em alguns minutos de carro.
* A história de Jason mantém uma coerência maior nos oito primeiros filmes em que o personagem aparece, entre 1980 e 1989, embora várias situações fiquem sem explicação. Mas a partir de Jason Goes to Hell: The Final Friday, surgem contradições extremamente visíveis na história.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Clã de Vampiros - Ventrue


Os parentes do clã Ventrue têm a reputação de serem honrados, bem educados e de gosto impecavél. Desde tempos antigos que os Ventrue têm sido o clã mais influente do Camarilla, esforçando-se por fazer manter as tradições dos ansiões e a procura de arranjar uma forma de mudar o destino dos parentes. Em noites de tempos já passados, os Ventrue foram escolhidos dos nobres, principes mercadores ou de outras pessoas que tivem-se poder. Nos tempos modernos o clã faz o recrutamento em familias saudaveís e abastadas, pessoas que sobem implacavélmente nas corporações e politicos. Qualquer que seja a sua origem, os Ventrue preservam a estabilidade e mantêm a ordem do Camarilla. Outros clãs por vezes vêm os Ventrue como arrogantes ou avarentos, mas para os Ventrue, os seus modelos de orientações é mais uma questão de destino do que de honra.
Os Ventrue apoiam a "Masquerade" de todo o coração, sentindo que por debaixo da sua protecção, uma melhor existençia para todos os vampiros pode ser obtida. Na ideologia dos Ventrue, os outros clãs são impertinentes e impetuosos. Demasiado empenhados em ter grandes confortos em curto prazo, muitos vampiros darão de boa vontade uma eternidade amanhã, em troca de uma noite cheia de confortos. Sem os Ventrue não haveria a "Masquerade"; sem a "Masquerade" não haveria vampiros. Deste modo, os Ventrue têm o peso do Atlas nos seus ombros. Nenhum outro clã conseguiria liderar os filhos de Caine nas noites infernais que estão pra vir - ou assim dizem os Ventrue, que se consideram aptos para a sua liderança. Apesar de tudo a sua reputação apoia-se nisso.
Os Ventrues vêm-se a eles proprios como nobres, lutando para proteger a hierarquia dos outros parentes. Eles sãos os reis, cavaleiros e barões das noites modernas. Apesar de a luta ter mudado dos campos de batalha para salas de conçelhos e de listas de torneios para votos distritais, o clã Ventrue continua o duelo. Jovens Ventrue reunem e lideram tropas com os seus telefones celulares e limusines, enquanto que os mais velhos do clã olham para o horizonte a procura de pronuncios de nuvens ameaçadoras de tempestades. Muitas das herdades que estão sob controle dos Camarilla são controladas pelos Ventrue, e os outros clãs estão relutantes em lagar o controle das coisas que eles têm lutado desesperadamente por manter. Reputação e realização leva um parente para o seio da clã Ventrue, mas nada disso conta se o vampiro não conseguir manter a sua influência.
Outros vampiros por vezes lançam difamações aos Ventrue, difamando-os como hipocritas, pomposos ou mesmo tiranos - e no entanto continua a ser a eles que os outros vampiros recorrem qual algo corre mal. Os Ventrue cultivam influência e - tudo o que mais conseguirem - o controle dos média, policia, politicos, saúde e medicina, crime organizado, industria, finanças, transportes e até mesmo a igreja. Quando um vampiro lhes pede ajuda, eles podem forneçe-la, mas tem sempre um preço. 


Facção: Elegantes, aristrocaticos e sumptuosos, os Ventrue são os lordes do Camarilla. É o clã Ventrue que dirige o Camarilla nas piores alturas. Mesmo agora na idade moderna, a maioria dos principes descendem do clã Ventrue. É claro que os Ventrue não admitiriam que se passasse o contrario.
Aparência: os Ventrue vestem-se de uma maneira classica e tradicional. Por vezes os Ventrue mudam o seu estilo, e pode-se frequentemente advinhar a idade de um vampiro Ventrue, determinando de que época são as vestes que ele está a utilizar. Os membros mais jovens do clã têm a tendência de seguir a furia da moda, mas por vezes perferem um estilo mais classico de fato e gravata. Os Ventrue são elegantes e distintos, mas raramente se inclinam para a ultima moda ou mesmo para roupas mais baratas. Apesar de tudo, deve-se sobressair, não chamar as atenções.
Abrigos: Só os melhores servem. os Ventrue geralmente fazem dos seus abrigos, mansões ou propriedades valiosas. Muitas das vezes estes vampiros descendem de familias abastadas, e os seus abrigos são por vezes ancestrais. Uma tradição antiga dos Ventrue diz que, qualquer membro do clã pode-se abrigar em casa de qualquer outro membro dos Ventrue, e a recusa não é aceitavél. Esta tradição raramente é evocada, pois para o vampiro que procura refugio em casa de outro, subsequentemente fica em grandes dividas para com o mesmo. Todavia, esta pratica ja salvou varias "vidas".

CP by: Lord Nosferatu

sexta-feira, 30 de março de 2012

Lábios pretos perfeitos (((Vídeo Tutorial)))

Olá minhas queridas Ladys e Lords.
Algumas pessoas quando me vêem usando um batom preto me perguntam como eu faço para que eles fiquem perfeitos, outros perguntam simplesmente se sou maluca, mas isso não vem ao caso. 

O que estou querendo ensiná-los é como deixar seus lábios perfeitamente pretos, sempre problemas maiores, é muuuito fácil e até agora não consigo entender a dificuldade, mas o tutorial está aqui!
Espero que gostem e aproveitem!



Minha Morte



Neste dia sublime de primavera
onde flores deveriam cobrir os campos,
a tempestade consome a vitalidade minha
em uma sincronia de melancolia e terror.
Os sons que os vermes fazem
ao ingerir minha carne podre
é freneticamente instigante
e sua dança vigorante.

Feridas abertas por todos os lugares
e a vida imaginária sucumbindo mais uma vez...
Sangue, espalha-se pelas paredes escuras
de uma esquina onde ninguém me encontrará
e novamente a tortura me invade
através de pensamentos
onde seu rosto traz ao mesmo tempo
alegria e dor.

Não sinto meus braços
que um dia lhe consolaram com um abraço caloroso
tentando amenizar seus sentimentos de angustia...
Agora eu gostaria  de pelo menos um abraço seu,
para quem sabe, morrer te sentindo por uma ultima vez.

Não sinto minhas pernas,
que numa bela e perfeita noite
se entrelaçaram com as suas para te aquecer
do maldito frio da noite...
Gostaria de ao menos ver suas pernas 
caminhando em minha direção.

Meu querido, lembro quando me dizias
que os olhos são o espelho da alma!
Meu espelho quebrou,
viraram buracos negros
onde apenas habita a dor de minha alma.
Meus olhos já morreram e não posso mais te ver.

Sinto o sopro gelado da morte se aproximar
e aos poucos em meu peito
aquilo que chamo de coração não mais baterá...
Teu beijo nesse momento me aqueceu a alma
apesar de saber que não pude fazer muito por nós dois!
Eu apenas não tentei o suficiente,
e agora mais do que nunca sei o quanto é tarde
para voltar no tempo se retorno,
mas que já foi eternizado em nossas lembranças.

Adeus meu querido,
a vida neste momento me deixa
a cada batida breve e descompassada de meu coração,
como notas de um violino desafinado e sem ritmo...

Não consigo mais sentir o ar em meus pulmões
e em meu ultimo suspiro eternizo meu amor por você.
Guarde essas últimas palavras em sua alma
pois o fatal beijo venenoso da morte
me levou agora para longe de você
estou junto dela agora...
 E eu o esperarei
até o primeiro dia de sua morte 
e o inicio de nossa eternidade juntos.

by: Lady DarkAntonielle

quinta-feira, 8 de março de 2012

Especial dia da Mulhes - Como surguiu o corset?

Muitas garotas quando olham para um corset pensam: Nossa que lindooo, preciso de um desses! E muitos rapazes que vêem uma mulher usando um corset pensam: Nossa que sexy!
Mas não sabem de onde vem tanto glamour  e elegância. Uma peça cobiçada por Góticas para  usar e desejada pelos homens para tirar... Eis a sua origem!
A origem da palavra Corset, vem da palavra francesa cors “corpo” deriva-se do latin corbus. Nenhuma outra vestimenta na história ocidental, obteve tamanho significado político, social, e sexual, quanto o corset.

O corset não era considerado apenas uma vestimenta, projetada para realçar tão somente as formas femininas. Ele se transformou em um ícone, de tudo o que despertava o fascínio. Somente o Corset, para realizar tamanha façanha, levando-se em consideração, as rígidas regras sociais da era Vitoriana.

A origem exata do aparecimento do corset, perdeu-se na antiguidade. Porém, os antigos gregos, já usavam certamente um estilo de corset. Sabe-se que a vestimenta já acentuava a silhueta feminina, deste os séculos treze e quatorze, espalhando a sua popularidade para outros países.

O uso dos corsets, difundiu-se nos séculos quinze e dezesseis, como observamos em variadas pinturas da época renascentista. Porém estes mesmos corsets, eram particularmente muito rígidos bem como incômodos.Eram confeccionados com materiais como o ferro, madeira, e ossos de baleias. Os ossos de baleia se transformaram no principal material para fornecer compressão ao corset.
No começo do século dezesseis, as formas espanholas influenciaram as senhoras italianas e inglesas.O Corset de ferro deve ter sido excepcionalmente incômodo e pesado. Este tipo de corset, produzia uma cintura bem acentuada e pequena. O seu designer de formato cônico, sustentava e alongava de forma visível, a silhueta feminina.
No final do século dezessete, os corsets se tornaram mais elaborados, com volumosas saias, muitas petticoats, com a cintura bem afinada e marcada pelo uso do corset. O corset também tinha a finalidade de “levantar os seios para seduzir”. Toda a mulher da sociedade da época, buscava este visual. Os corsets foram usados tanto pelas meninas, quanto pelos meninos de famílias ricas da época.
O Tight Lacing tornou-se popular no final do século dezoito. Contudo, a volta da modelagem francesa na vestimenta, foi acompanhada pela diminuição do laço apertado, na França pelo menos.O corset foi visto como símbolo de uma aristocracia decadente. Napoleão descreveu o corset como “o assassino da raça humana”.Esta mudança espalhou-se pela França, e os corsets se tornaram mais curtos, ou foram abandonados completamente.
Na primeira década do século dezenove, os corsets de formato mais longo, voltaram.A função disciplinadora do corset, era muito recomendada na época. Se você desejasse que uma menina crescesse delicada e com “boas maneiras” teria de usar um corset. Os Corsets continuaram a ser usados também por homens, supostamente por razões de saúde, tais como sustentação da coluna, e para se obter uma postura correta.
Jonh F. Kennedy, presidente americano, usava um corset masculino liso, para melhorar a sua postura. Os anos que antecederam a primeira guerra mundial, os corsets eram longos e retos. Os corsets eram feitos frequentemente de borracha, com a invenção do lastex pela borracha da Dunlop.
O espartilho atualmente
O espartilho atualmente, voltou a ser apreciado com muita admiração no mundo todo. É verdadeiro dizer que os corset nunca desaparecerá, e estará sempre presente no mundo da moda. É justo se dizer que esta peça, realmente nunca mais terá a extensão de sua utilização, como na idade Vitoriana.
Porém, uma mulher de corset, inegavelmente representa um ícone, de tudo o que desperta o fascínio
PS: Essa historia da origem do corset encontrei no site Ateliê Madame Rouse onde se eu não me engano você também poderá encomendar seu corset! 

sexta-feira, 2 de março de 2012

Clãs de Vampiros: Malkavians


Mesmo os outros clãs temem os Malkavian. O seu sangue amaldiçoado poluiu a suas mentes, como resultado disso, todos os Malkavian sofrem irremediavelmente de perturbações mentais. O pior de tudo é que a locura dos Malkavian pode assumir qualquer forma, como excessivas tendencias homicidas. Os poucos cujas psicoses são imediatamente obvias, são dos mais terriveis vampiros a andar pelas ruas.
Desde os primordios, os Malkavian têm agitado toda a comunidade de vampiros á sua passagem. Apesar de o clã não ter provocado grandes guerras nem ter feito derrubar nenhum governo dos mortais (pelo menos, não com o conhecimento de todos os outros vampiros), a simples presença de um Malkavian é o suficiente para haver mudanças subteis numa cidade. O caos rodeia os Malkavian, e aqueles que se associem mesmo com o mais bem intencionado dos Malkavian, muitas vezes vêm a sua vida mudar pela demência destes vampiros.
Recentemente, os Malkavian executaram a sua maior "brincadeira" de sempre. Ninguem consegue dizer se foi idealizado num grande Parlamento de Malkavians realizado algures numa vila Europeia, ou num qualquer pantanal sem vida e esqueçido afastado da civilização. Algumas historias falam de uma epidemia de demência colectiva naqueles em cujas veias corre o sangue dos Malkavian. Qualquer que seja a causa, os Malkavian de todo o mundo começaram a ostentar um novo e perigoso padrão de loucura, acompanhado por bizarros eventos em cidades de parentespor todo o mundo. Um dos firmes conceitos dos Malkavian, consiste em considerar os Jyhad como sendo uma piada instigada pelo criador do clã; alguns parentes perguntam-se, se na verdade, os Malkavian não terão pregado a partida a eles.
Ninguém consegue dizer exactamente o que torna este clã tão perigoso. Certamente que a sua loucura muita vezes os liberta do medo da dôr ou da morte. Mais do que apenas alguns Malkavian demonstram um impulso horroroso e mortifero ou uma completa falta de emoções, incluindo a compaixão. Os malkavian estão livres dos limites da racionalidade e podem fazer o que lhes apeteçe - e esta liberdade é conjugada com um estranho conhecimento e sabedoria que não pode ser compreendida pelos sãos. Os Malkavian possuem um intelecto obscuro que é por vezes - e de modo crescente - regulado para propositos assustadores.

Facção: Os Malkavian como clã têm um entendimento com os Camarilla. Eles também se encontram, apesar de em menor número, nos Sabbat, onde até aterrorizam os seus proprios parceiros com as suas exibições psicoticas. No fundo a sua verdadeira lealdade provavélmente transcende facções. Quando chegar a Gehenna (Inferno), ninguém sabe dizer com a certeza onde é que os Malkavian vão ficar.
Aparência: Os Malkavian usam desde uma gama com aspecto terrivélmente pisotico a uma convincentemente usual em todos os aspectos - por vezes combinam as duas ao mesmo tempo. Tal qual como os assassinos em série, eles podem ser qualquer pessoa - o mal arranjado vadio a falar consigo mesmo, ou mesmo o agradavél mas silencioso vizinho. Estes vampiros são capazes de grande subtileza, e raramente mostram a alguem outra face que não seja aquela que eles querem que as pessoas vejam.
Abrigos: Os Malkavian so escolhem os abrigos que eles gostam, apesar de alguns encontrarem velhos hospitais e asilos deficientemente consolidados mesmo aos seus gostos. Muitos pareçem gostar da companhia de mortais sem esperânças, e preferem bairros de lata e instituições a abrigos mais isolados.

CP. de Lord-Nosferatu

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Clã de Vampiros: Gangrel


De todos os vampiros, os Gangrel são provavelmente aqueles que são mais fieis as suas origens. Estes nómadas solitarios rejeitão o constragimento das sociedades, preferindo o conforto de areas mais desertas. A maneira de como eles se safam a ira dos lobisomens é desconhecida; talvez tenha alguma coisa a haver com o facto de os Grangel conseguirem mudar as suas formas. Quando um mortal fala de um vampiro que mudou a sua forma para um lobo ou um morcego, ele refere-se muito provavélmente a um Gangrel.
Tal qual como os Brujah, os Grangel são guerreiros ferozes; por outro lado, a ferocidade dos Gangrel não vem dos ideais rebeldes e anarquicos dos Brujah, mas sim de instinctos animais. Os Gangrel estão entre os mais predadores de todos os clãs, e adoram a excitação de uma caçada. Eles tem um profunda compreensão da Besta que existe nas suas almas, e preferem passar as noites em comunicação com os animais que eles encarnam. De Facto, os Gangrel são tão harmoniozos com as Bestas que encarnam, que quando se envolvem demasiado, apareçem-lhes pelo corpo varios traços fisionomicos dos animais.
O clã tem pouco contacto com, ou consideração, pelos outros parentes. Isto pode dever-se ao facto de desejarem evitar as armadilhas dos Jyhad, mas é mais provavél que seja apenas puro desinteresse. Certamente, os Gangrel são vistos como um clã tranquilo, taciturno e fechado. Apesar de isto ser verdade para todos os membros do clã, denota-se nos Gangrel uma certa ostêntação como as dos Toreador ou Ventrue.
Os Gangrel têm uma ligação muito forte com os ciganos, adoptando muito da sua cultura, como a fala e as suas maneiras. Rumores especulam que os ciganos são de facto descendentes dos antediluvianos que fundaram o clã Gangrel. Assim sendo, como dizem os rumores, aquele que magoar ou arrastar um cigano para o seu clã, ira sofrer a furia dos anciãos. Obviamente os vampiros do clã Ravnos ignoram este rumor de proibição, tendo os Ravnos e os Gangrel uma relação de odio uns pelos outros. 


Facção: O clã Gangrel é normalmente dos Camarilla, apesar de existirem alguns membros dos Gagrel nos Sabbat. A maioria dos Gangrel não se mostra preocupado com as facções, havendo rumores de uma completa separação dos Camarilla.
Aparência: O rigido estilo de vida dos Gangrel e a sua falta de interesse pela moda, faz com que eles se pareçam grosseiros e selvagens. Junte-se isto ás caracteristicas animalescas comuns entre o clã, e os Grangel por vezes pareçem completamente assustadores. Alguns mortais e parentes, acham uma certa beleza predadora nos Gangrel, mas isto pode induzi-los em erro quanto ás verdadeiras intenções dos Gangrel.
Abrigos: Muitas das vezes os Gangrel não tem abrigos permanentes, dormindo onde quer que encontrem um abrigo do sol. Os Gangrel possuem a mestria mais que suficiente da disciplina Protean, dormem no chão dos parques e em outros sitios com terra natural. Apesar de que muitos dos Gangrel viajam de terra em terra, preferem repousar ao relento, eles são também tão vuneraveís aos ataques dos lobisomens como os seus outros parentes, vendo-se as vezes forçados a ficar confinados em recintos urbanos.

C.P. de Lord - Nosferatu

Clã de Vampiros: Brujah


O clã Brujah é largamente constituido por rebeldes. Individualistas, sinceros e violentos, os Brujah têm alguns dos mais violentos vampiros do Camarilla. muitos dos outros vampiros vêm os Brujah como nada mais do que uns punks e descrentes.
Os Brujah adoptam paxões e causas, que apoiam com todas as forças e seguem com toda a convicção. Alguns deles seguem os passos de alguns membros mais carismaticos do seu clã, enquanto que outros preferiam o provocador individualismo. O clã proclama uma historia rica em guerrieros-poetas, e este conceito foi adoptado por eles para as noites modernas: muitos dos Brujah adoram ter uma oportunidade para expremirem a sua mentalidade, e depois satisfazerem-se com um pouco de destruição para ilustrarem bem os seus pontos de vista. Tendo um inimigo em comum, os Brujah, mesmo que com ideais completamente diferentes lutarão lado a lado para se oporem ao seu adversário. Quando o inimigo for derrotado, as alianças desfazem-se e tudo volta ao normal.
Os Brujah acrediam no comportamento caotico e perturbado para fazer passar as suas ideias. De facto, dos Brujah espera-se sempre uma certa incoerência e uma incitaçao a desordem; Este comportamento so ajuda os membros mais eloquentes e de boa reputação, quem não precisam de recorrer a violência para explicar os seus argumentos.
Os Brujah são a parte fisíca do Camarilla. Alguns membros do clã vêm-se como uma instituição dentro da comunidade Camarilla, e circula por entre o clã algo mais do que uma simples inquietação. Os outros clãs acreditam que os Brujah seriam os primeiros a abandonar o Camarilla. Os Brujah acreditam no mesmo... 


Facção: A maioria dos Brujah pertençe ao Camarilla. Os Brujah também suportam os anarquistas, muito mais do que o próprio Camarilla. Na realidade, os anarquicos tem mais membros do clã Brujah, do que todos os membros de outros clãs juntos.
Aparência: Os Brujah vairam muito de aparência, se bem que a maioria adopta por um estilo radical e arrojado. Se fossemos idealizar a letra o tipico Brujah, este estaria vestido de um blusão motard, calças de ganga esfarrapadas, botas de tropa e um penteado assustador. Na verdade, poucos Brujah se assentam naquela imagem. Jovens, com roupas da moda e penteados notaveis são varias vezes encontrados entre os Brujah, mas outros preferem guarda roupas mais elegantes para que os outros os encarem a sério. No fim de contas, a aparência de um Brujah reflecte a sua personalidade: Um Skinhead é muito provavél que seja um rebelde e anarquista, Enquanto que um individuo de aparência respeitavel vestindo um fato, pode muito bem ser um reformista ou liberal. Note-se que, qual quer que seja a aparência de um Brujah, dado a sua nao-conformidade, qualquer supusição baseada pela aparência pode ser potêncialmente perigosa. Os Brujah aparentam-se como quiserem.
Abrigos: Resumidamente: Onde eles bem quiserem. Mais do que qualquer outro clã, os Brujah não se importam de dividir o seu espaço com outros clãs. Os Brujah têm sempre mais do que um abrigo, pois como estão quase sempre em conflicto, poderia-se tornar impossivél voltar sempre ao mesmo refugio em segurança. Alguns Brujah tem a pratica urbana de invasão de casas, dominar ou matar os ocupantes e ficar com a casa. Contudo, a invasão de casas raramente suscita o interesse dos Brujah, e eles mudam-se bastante, sempre que se cançam de determinado sitio.

C.P. de Lord - Nosferatu

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Clã de Vampiros: Nosferatu


Os vampiros existem, e andam entre nós. De noite, pelo menos - pois o sol para eles é mortifero.
E sim, eles sobrevivem bebendo o sangue humano. Mas os mitos não vão mais longe que isto a fim de dizer a verdade.
Cruzes, alho, agua corrente? Não têm qualquer efeito.
Vampiros tal qual eles realmente existem, são criaturas de contradições. São imortais, mas continuam agarrados aquilo que ainda tem de humanos. Poderosos, mas sempre cautelosos para manter a sua existência escondida da sociedade humana.
Esta é a sua historia.
Os vampiros são uma criação de Caine, o primeiro vampiro. Ele criou varios vampiros, que por sua vez deram origem a outros vampiros, e assim consecutivamente. Cada geração que nasçe, afasta-se mais do sangue de Caine, consequentemente vão perdendo poderes. Mas os vampiros que se mantem activos durante longos periodos de tempo, tendem a ficar mais poderosos, ganhando com isso experiência, conhecimento, influência politica - e um forte sentido de paranoia.
O clã em que cada vampiro esta inserido, afecta a sua personalidade, poderes, aparência fisica e mentalidade.
Os vampiros de caracteristicas similares são apelidados de "kindred" (Parentes). Mas os tempos mudaram para eles. Na Idade Média poderam mover-se com mais liberdade por entre a população humana, por vezes com a sua influência chegavam até cargos de governadores. Mas com a chegada da inquisição tudo mudou novamente. Foi necessário adoptar uma lei de absoluto silêncio sobre a sua propria existência - "Masquerade". Matar, foi o minimo que eles fizeram para conseguir preservar a sua existência em segredo absoluto.
Hoje em dia, a sociedade dos vampiros é muito mais estructurada. A maioria dos "Kindred" pertençe aos Camarilla, que protegem a lei de silêncio (Masquerade) e matêm uma hierarquia social. Outros, porém, pertençem aos Sabbat, que rejeitam a sua natureza humana e apenas vêm os seres humanos como a sua fonte de alimentação. Apenas o seu instincto de auto preservação da especie, os impede de destruir a "Masquerade".
Existem 13 diferentes clãs nos tempos modernos. Outros clãs já não são mais do que historias. Um desses clãs era os Cappadocians. Derivando de uma ordem de monges medievais, estes vampiros fizeram da morte o seu principal objecto de estudo. 

Nosferatu

Os filhos de Caine são apelidados de "Os Condenados", e ninguém encarna mais neste papel que os miseraveís Nosferatu. Os Nosferatu carregam consigo uma antiga e terrivél maldição, pois ja não são feitos á imagem de Deus; a transformação vampirica, deformou-lhes o corpo, transformando-os em abominações aos olhos dos homens e dos anjos. Marginalizado pela sociedade dos mortais e dos vampiros, estes seres deformados assombram as catacumbas e todos os tipos de lugares escuros e desertos.
Os Nosferatu raramente confraternizavam com os mortais, mas ficaram enraizados na sociedade dos humanos como monstros. Outros vampiros, com medo dos roubos dos Nosferatu aos seus clãs, levaram estas criaturas a procurar abrigo em baldios, longe das sociedades. Este exilio forçado, combinado com a revulsão intrinseca que a sua aparência inspirava, tornou-os no perfeito bode expiatório para tudo o que não tinham explicação, real ou imaginário. Esta malvada (e nada merecida) reputação forçou os Nosferatu a estarem para sempre em movimento, sempre escondidos, sem poderem descançar devido ao medo da exterminação.
Muitas vezes eles evitaram a sua destruição traficando preciosas informações. A sua dependencia em fazer as coisas pela calada, comunicar com bestas e estar sempre em movimento de lugar para lugar, propocionou-lhes acesso a muita informação que os seus congeneres menos audazes não tinham conhecimento. Mesmo os Nosferatu que viviam nos perimetros das cidades, descobriram que as suas escolhas de estadia e de victimas, lhes forneciam conhecimento secreto de todo o tipo de informações e de assuntos vulagares, inacessiveis mesmo ao mais grandioso clã. Os Nosferatu aprenderam que os mais refinados principes Ventrue muitas vezes cobriam o pescoço, tapavam o nariz e davam um pedinte ou dois, em troca de informação sobre o seu clã rival Lasombra. (e se o ragateio se provasse futil, os Nosferatu não estavam imunes a chantagens...)
Desde o aparecimento da Cristandande, muitos Nosferatu mudaram os seus comportamentos. Viam-se amaldiçoados por Deus, mas capazes da salvação atravéz de Cristo (quem quer que fosse), aguentaram com firmeza e com sofrimento a sua penitência na terra, na tentativa de evitar o inferno. Como o Nosferatu tem de se manter encondido entre a camada social mais baixa dos mortais, encontram desta maneira muitas oportunidades de fazer bons trabalhos a partir da escuridão.
Aparência: Cada Nosferatu é único, sendo cada um mais repugnante que o outro. As suas deformidades são tão exageradas como grotescas. Alguns tem aspecto de um corpo em decomposição, sem narizes e orelhas; outros aparentam-se com demonios ou roedores vorazes. Muitos perdem o cabelo e deixam cresçer inchaços e verrugas como os sapos. Alguns tem uma pele gordurosa e enrugada, outros horrivelmente não tem pele, parecendo-se como porcos esfolados num mercado. Um cheiro pestilento circunda os Nosferatu, atraindo muitas das vez pragas de moscas e de gafanhotos. Em todos os Nosferatu, a falta de higiene é evidente. Num esforço para esconder a sua vergonha (e evitar os caçadores de bruxas), muitos dos Nosferatu encobrem-se numa especie de sarapilheira.
Abrigos: Os Nosferatu assombram sitios abandonados e pestilentos, de preferência ruinas, pântanos, florestas ou, de preferência, zonas infectadas por pragas. Nas cidades, tendem a habitar catacumbas antigas, leprosarias, masmorras e casas baratas fora dos limites da cidade. Os grandes montes de estrume comuns as cidades da época medieval, serviam de abrigo diurno (e era mesmo muito pouco provavél que mesmo o mais zeloso caçador de bruxas, fosse escavar um monte de estrume á procura de um vampiro adormecido).
Antecedentes: Os Nosferatu escolhem as suas vitimas da mais baixa classe da sociedade: idiotas, leprosos, ermitas, criminosos e vagabundos. Os Nosferatu na caminhada para o céu, muitas vezes castigam os orgulhosos, hipócritas e outros pecadores, forçando-os a entrar no clã. Os Judeus eram os favoritos, pois muitas das vezes eram inteligentes e praticos, mas não tinham protecção contra os vampiros. Ocasionalmente, um Nosferatu indignado, escolhe uma belas victima para a tornar monstrousa, mas hoje em dia esta pratica já nãoé comum.
Personalidade: A maioria dos Nosferatu tem a ideologia de um pedinte ou de um estranho a uma sociedade. Os atributos fisicos e os talentos são geralmente essênciais, pois têm de ser rapidos, espertos e tem de dar preparados para sobreviver com as suas inumeras privações. Raramente tem aliados, contactos, servidores ou qualquer outra coisa que os ligue ao mundo dos mortais. Apesar de tudo, o raro humano que ajudar um Nosferatu, terá um amigo para a vida (e para a dos seus filhos, netos.... ). O caminho para o céu é comum entre os Nosferatu, seguido de perto pelo caminho da besta. Muitos Nosferatu rejeitão o caminho da humanidade, não se considerando dignos da humanidade.

Bem gente como percebe-se estamos falando aqui de vampiros míticos e não de vampyros psiquicos, portanto existem varias clãs, então tentarei postar toda semana um clã diferente! 
Espero que gostem das postagens!!

C.P. de Lord-Nosferatu

TAG: Me conhecendo Melhor | #colabalternativo

Olá minhas Ladys e Lords! Estamos com mais uma postagemzinha do Colab Alternativo que sai no CANAL Lady Dark's nos dias 20 de ...