sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Cena Gótica Brasileira #3 - Arte no Escuro

Olá Ladys e Lords, lembram que comecei um projetinho pessoal relacionado ao cenário Gótico Brasileiro? Estão gostando?
Enfim meus amores, acontece é que observamos muita a cena pela parte da estérica e do som internacional, esquecemos que nosso cenário também teve uma propagação aqui, gerou-se um movimento o qual praticamente não foi divulgado e até hoje, mesmo no meio da própria subcultura não se houve falar de bandas nacionais relacionadas ao estilo. Essas sobreviveram e algumas sobrevivem até hoje nas sombras, no meio mais underground. Algumas conseguiram sair e ganhar um pouco de reconhecimento, mas até hoje é um tanto difícil a divulgação. 
Alguns vão se perguntar: Mas e a internet? Não é um meio mais amplo e aberto de divulgação de trabalho? 
Sim é sim, contudo não é visto tanto interesse dos adeptos da subcultura gótica para com os trabalhos nacionais. Muito pelo contrário, é notório o desprezo. Muitos chegam a afirmar que tudo que vem do nosso país não presta. que os melhores sons são Finlandeses, Noruegueses, Ingleses, Alemães, por ai vai...
 Então estou aqui eu para dar continuidade ao que já havia começado e ainda assim falar sobre bandas Nacionais muito boas, de som obscuro que conheci a pouquíssimo tempo, por pesquisas para o projeto, pois não vou ser hipócrita de falar que já conhecia, seria mentira total... e que me apaixonei e notei mais do que nunca que o som Nacional não perde em praticamente nada pras bandas Internacionais, apenas para divulgação e produção, mas perde principalmente em valorização do grupo!

Arte no Escuro


Fundada em 1984, a banda conta com Lui (voz), Pedro Hiena (baixo e letras), Adriano Lívio (bateria) e Paulo Coelho (guitarra). Já em sua primeira apresentação, a banda protagoniza cenas que serviriam de prólogo à sua "lenda": ao cantar a música ♪♫Beije-me Cowboy♪♫, canção sobre o submundo brasiliense com cenas de prostituição e suicídio. O que pode ser considerada uma maturidade invejável. O vocalista Lui completamente performático, jogava um balde de tinta negra sobre si mesmo ao cantar como forma de se mostrar consumido pela escuridão e a decadência que permeavam as ruas escuras de Brasília.
Poucos meses após a primeira apresentação, o vocalista deixa a banda e dá lugar à jovem Marielle Loyola, então recém-saída da banda Escola de Escândalo, onde fazia os vocais de suporte, e que suporte! Por que ao ouvir a primeira estrofe da mesma música em sua voz, me arrepiei! O talento, a presença de palco, sua meiguice e obscuridade imposta na voz, o estilo da nova vocalista foi o diferencial naquele momento de efervescência musical, e as rádios passaram a executar algumas faixas da fita de demonstração da banda, como "Beije-me Cowboy" e "Na Noite". 


Em 1987, o Arte no Escuro foi contratado pela EMI e o álbum intitulado Arte no Escuro (1988) seria lançado poucos meses depois, com evidentes amostras de um impacto musical brusco e do apelo visual da banda. Ironicamente, comenta-se (no livro Dias de Luta, por exemplo) que a Escola de Escândalo, banda que expulsara Marielle, foi preterida pela gravadora, que preferiu apostar justamente em sua nova e instigante banda.


Após o lançamento do LP, Marielle fundou a banda Volkana, de Thrash Metal, mudando-se para São Paulo. O Arte no Escuro simplesmente acabou logo após seu único lançamento de mercado torna-se cada vez mais cobiçado pelos colecionadores e por quem chegou a conhecer. O contrato com a gravadora, aliás, expirou em 2004, o que deixa o trabalho disponível para negociação por outros selos. Uma eventual edição em CD não só serviria para recompor o quebra-cabeça da história do rock nacional, como também daria algo palpável às legiões de novos apreciadores da banda, que se lamentam de só disporem de arquivos digitais, sem algo mais "palpável". Em CD, a banda teve apenas uma canção lançada ("Beije-me Cowboy"), incluída por Charles Gavin (Titãs) na compilação Discoteca Básica: Pop Rock Nacional dos Anos 80, o que é bom, mas não o suficiente.


Recentemente, até meados de 2010/2011, soube que Marielle se dedicava à banda Cores D Flores, que por sinal é muito boa também, contudo não consegui descobrir se ela ainda faz shows ou se continua fazendo música, até por que no canal da banda (Youtube) o ultimo vídeo enviado tem cerca de 7 anos. Pedro vive em Londres, não sei se de música ainda, mas ao que tudo indica sim. Enquanto os demais ex-integrantes parecem ter abandonado a música, infelizmente. 
Baixem o álbum AQUI
Músicas:
† Beije-me Cowboy
† Na noite
† Celebrações
† Entre as aves de rapina
† Vencidos
† Boro
† O fim
† Rosas

Pesquisas feitas pela Last.fm, Blog R64 e informações de fãs.


Bom gente é isso eu realmente espero que gostem e estejam gostando do projetinho!
Bjinhos e Até a próxima postagem!


Querem ver os posts anteriores do projeto?

Cena Gótica Brasileira #1
Cena Gótica Brasileira #2

Nenhum comentário:

Postar um comentário

† Ladys e Lords, os comentários são moderado, não se preocupem se não aparecer na hora. Leio sempre todos e respondo com o maior carinho ok?!

† Se puder se identifique, fico muito feliz de saber quem é!

† Comentários maldosos e desrespeitosos serão excluídos e ignorados. Se não gostar do que está lendo simplesmente se retire, não baixe o nível!

Bjinhos a todos ♥