segunda-feira, 5 de setembro de 2011

My Dying Bride - Gothic/Doom Metal Britânico

Olá meus queridos Lords e Ladys, hoje resolvi postar uma banda que ultimamente me tem feito lembrar de algumas coisas, e literalmente afundar minha alma por muitos motivos, espero que essa traga efeitos a vocês ao menos satisfatorios com relação a  sonoridade e a viajem que as musicas nos fazem dar em pensamentos e lembranças!
Bjs e espero que realmente gostem!

My Dying Bride, foi formado em Junho de 1990, por Calvin, Aaron, Andy e Rick e depois de seis meses de ensaios intensos, sua demo “ Towards The Sinister” foi lançada.
Após o lançamento da demo, um sétimo single foi lançado pela banda em um pequeno sela “francês” Listenable.
O “God is Alone”, vendeu quase todo o estoque e imediatamente atraiu Peaceville Records, que ofereceu um acordo, apenas um ano depois da formação da banda.
“Symphonaire Infernus et Spera Empyrium” foi o debut lançado pela banda (um EP com Ade no baixo) que foi acompanhada logo pelo seu primeiro LP, “As The Flowers Withers”, empurrando a banda para o “Avant Garde Doom Metal”.


No final de 1993, uma imensa turnê européia iniciou-se, para coincidir com o lançamento do LP “Turn Loose The Swans”. A turnê foi um grande sucesso, mas um acidente com o transporte, ocasionou roubou dos equipamentos da banda e se não fosse por isso, a excursão seria proveitosa.
“The Angel and the Dark River” foi lançado pela Peaceville Records em 8 de maio de 1995, e foi respondida com uma extensa turnê européia, incluindo o grande festival Dynamo Open Air na Holanda.
Durante o outono de 95, três EPs foram relançados em um cd intitulado “Trinity”.
Em 1996, My Dying Bride lançou “Like Gods of the Sun” que recebeu uma “aenção extra” em sua produção, o qual resultou em um som mais “limpo”. O lançamento deste álbum foi acompanhado por duas turnês pela Europa, uma em 96 com Cathedral e outra em 97 com Sentenced. Em abril de 1997, a banda também excursionou com nos E.U.A junto ao Dio.
Apesar da turnê ter sido um sucesso, as ultimas semanas foram canceladas, quando o baterista Rick adoeceu.


Lamentavelmente, Rick deixou a banda devido a sua doença e por sua vez a banda teria de procurar um novo baterista.
Em 1998, My Dying Bride trabalhou duro em seu novo álbum “34.788%…Complete”, mas durante os ensaios a banda perdeu outro membro, Martim.
Bill Law do Dominion, foi o baterista temporário e com a mudança drástica no line-up, a banda entra em estúdio.
Após o lançamento do álbum, My Dying Bride calou-se…


O silencio foi quebrado pelo anuncio que a banda estaria trabalhando em seu sexto álbum e outra revelação: Shaun Steels (Solstice e Anathema) seria o novo baterista permanente.
“The Light at the End of the World” foi lançado em novembro de 1999. Este álbum é basicamente um retorno do som da banda no período entre “Turn Loose the Swans” e “The Angel and the Dark River”, mas com uma nova perspectiva de som.
A banda também escalou Hamish Glencross como segundo guitarrista, embora seu trabalho não pôde ser ouvido ainda em “The Light at the End of the World”. 

Aqui deixo a principal musica que me tem feito viajar por completo! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

† Ladys e Lords, os comentários são moderado, não se preocupem se não aparecer na hora. Leio sempre todos e respondo com o maior carinho ok?!

† Se puder se identifique, fico muito feliz de saber quem é!

† Comentários maldosos e desrespeitosos serão excluídos e ignorados. Se não gostar do que está lendo simplesmente se retire, não baixe o nível!

Bjinhos a todos ♥